Em quase toda pesquisa que você fizer na internet sobre Alter do Chão, vai dar de cara com imagens sensacionais da Ilha do Amor, que é o grande cartão-postal desta minúscula cidade dos confins do Pará. Mas há muito mais praias de Alter do Chão que você pode conhecer e curtir durante sua estadia neste que é chamado de Caribe amazônico. Algumas tem acesso por terra e infraestrutura turística básica para uma gostosa tarde de petiscos e cerveja, o que também quer dizer que lotam nos finais de semana e feriados. Em outras só se pode chegar de barco e é preciso carregar tudo para passar o dia, mas essas te brindam com paz sem fim e aquela sensação inigualável de ter um pedacinho da Amazônia só para você. Algumas são praias de rio – o Tapajós, no caso -, e outras de lagos da região, como o Lago Verde e o Lago Preto.

A primeira praia da nossa lista é a deliciosa Ilha do Amor, como não poderia deixar de ser. Ela está localizada bem em frente à orla de Alter e é de acesso muito fácil e rápido, seja pela travessia a é da seca, seja pelo acesso em apenas dois minutos de barco. Passando a ilha e indo em direção ao norte, destacamos também a Ponta do Cururu, Ponta de Pedras e Lago Preto. Na direção oposta, para o sul da ilha, as mais bonitas são Ponta do Muretá, Ponta do Caxambu, Pindobal e Maguary. A mais próxima de Alter está a apenas 15 minutos de barco, enquanto a viagem pelas águas até a mais distante pode chegar a mais de 50 minutos. Como se deslocar da cidade até elas? Ou a bordo de um tour, ou alugando um barco particular.

Os tours têm roteiros pré-definidos e podem ser agendados tanto no seu hotel quando na Associação de Turismo Fluvial de Alter do Chão (ATUFA), cujo píer fica na orla. Não há uma tabela de preços, então é preciso negociar com cada barqueiro separadamente. Quanto mais gente embarcar, mais barato fica. Então, você pode escolher entre pagar um pouco mais e fechar o barco apenas para você e seus amigos ou familiares, ou deixar o barqueiro livre para botar quanta gente conseguir no passeio. Mas pode estimar que os custos fiquem entre R$ 250 e R$ 450. No tour para Ponta de Pedras você visita praias do norte. No tour para o Lago Verde, verá as praias do sul menos Maguari. O único passeio que passa por ela é o que vai até a Floresta Nacional – a FLONA – e no qual se faz uma caminhada pela Amazônia. Para visitar as praias por conta própria o esquema é basicamente o mesmo.

A diferença é que você faz o roteiro, o barco será só seu e o custo será calculado com base na distância que o barco vai percorrer e quantos deslocamentos terá que fazer. Nosso transporte até a Ponta do Cururu e, mais tarde no mesmo dia, até a Ponta do Muretá, saiu por R$ 150, por exemplo. Sobre os acessos por terra, vamos falar mais adiante. Outra dica importante parar visitar as praias de Alter do Chão em todo seu esplendor é a época do ano em que vai viajar. A estação que mais atrai os turistas é a seca, que vai de agosto a dezembro. A partir de agosto, com a redução significativa da quantidade de chuvas, a água começa a baixar e abrir faixas de areia na Ilha do Amor e todas as demais praias da região. É quando o Tapajós recua que se formam as famosas ‘pontas’, que dão nome a várias delas e que são bancos de areia que emergem no meio do rio, formando estreitas faixas de areia por onde se pode andar e tomar sol tranquilamente.

Um cenário único e que pode ser visto no seu auge em novembro, mas que não deixa de ser um grande atrativo em qualquer um dos meses de seca. Há outras atrações para visitar em Alter na época de chuvas, mas as praias ficam realmente prejudicadas, pois estarão em sua maior parte cobertas pelas águas.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA