BBJL7DACamisa, blazer e calça de alfaiataria são algumas das peças que pipocam na mente quando o assunto é montar um look para trabalhar. No entanto, mesmo que o ambiente exija toda aquela formalidade, é possível dar um toque mais moderno e imprimir ali a sua personalidade, da mesma forma que é possível ser elegante na medida em um ambiente mais descontraído. Para isso, não é preciso gastar horrores com dezenas de roupas que talvez você nem consiga ornar, mas saber fazer boas escolhas e montar um armário prático e funcional para o dia a dia. “Estilo, modelos e cores precisam conversar. O ideal é que cada parte de baixo coordene com três partes de cima, pelo menos, pensando em looks variados, diferentes, um mais para o calor, outro para a meia estação e outro para o frio”, orienta a personal stylist Luciana Alves, consultora de imagem e estilo. “A terceira peça é sempre interessante de se acrescentar, como blazers, coletes de alfaiataria, cardigãs, casacos e jaquetas, além das bijuterias, que dão o toque final, são a cereja do bolo, nos looks”. Para a consultora de imagem Érica Minchin, nenhuma peça é infalível, pois tudo depende muito do contexto. “Muita gente se sente mais confortável com um blazer, por exemplo, mesmo em ambientes menos formais. Mas é importante entender o estilo e os objetivos da pessoa, além do ambiente da reunião. A minha melhor sugestão aqui é usar aquela roupa que você se sente mais profissional e adequada”, conta.

“Tecidos planos sempre vão passar uma imagem mais alinhada e formal, enquanto as malhas trazem mais informalidade para o look”, explica Érica Minchin. Para quem prefere peças mais leves e com um quê mais informal, a especialista sugere a cambraia – só tome cuidado com a transparência nas versões mais finas! Já a tricoline é mais estruturada e tradicional. Em se tratando de tecidos leves, atualmente há uma variedade enorme daqueles feitos de viscose, que são excelentes para o verão, mas amassam muito fácil, ou algodão, que também podem amassar dependendo da mistura com outras fibras e da gramatura do tecido. “Para quem gosta de peças mais estruturadas, alguns crepes podem ser interessantes, só não para calças e saias”, conta.

A escolha das cores das suas roupas vai muito além do simples gosto pessoal. “Uma pessoa que trabalha em áreas mais conservadoras pode se beneficiar de um marinho, cinza ou outro neutro escuro. Porém, essas cores poderiam pesar demais em um ambiente criativo, que talvez aceitasse mais facilmente algo com uma leve textura ou mesmo mais colorido”, explica Érica. As estampas, por exemplo, costumam trazer mais informalidade, mas não precisam ser evitadas. “Às vezes elas são um ponto de equilíbrio bacana para passar personalidade e ainda parecer adequada em ambientes conservadores. Nesse caso, quanto mais colorida for a estampa, mais informal. Estampas com linhas redondas também transmitem mais acessibilidade do que aquelas com listras ou outras linhas mais angulares”, detalha.

Apesar de não ser a única opção para quem precisa ir bem arrumadinha trabalhar, a camisa social ainda é uma boa e velha aliada dos looks de trabalho. Se você é desse time, vale ficar atenta a alguns requisitos na hora de sair às compras. “O caimento é importante!”, destaca Érica. “A costura onde a manga e a cava se encontram deve ficar exatamente no ponto onde o ombro e o braço se encontram. O abotoamento não deve ficar abrindo, a cava não deve ficar pegando. É legal prestar atenção no colarinho também, para ver se não está apertado ou com muita sobra de tecido”, explica. A escolha do tecido, inclusive, como falamos anteriormente, é bastante importante: ele pode determinar o caimento da roupa e se ela vai amassar muito ou pouco com o movimento. “Antes de comprar, dê uma amassadinha com a mão para ver se ele marca facilmente”, sugere. Agora, para quem não é muito fã dessas peças de botões, mas precisa estar alinhada, uma alternativa é investir nas blusas de tecido plano.

Trabalhar em locais que não exigem tanta formalidade, mas que também não são lá tão abertos para o jeans exige uma certa criatividade. Nesses casos, uma boa pedida é substituir o jeans pelas calças de alfaiataria. Érica sugere as feitas de sarja ou outro material de peso médio e que tenham detalhes das calças mais arrumadas, como bolso faca. “A modelagem ajuda um bocado a trazer um ar mais casual. Os modelos flare e os mais volumosos, tipo cenoura, podem deixar o resultado mais casual, mais feminino e até mais moderno, dependendo do que acompanhar”, explica em seu blog. “A cor aqui é super importante. Se o ambiente permitir, dá para arriscar uma peça mais colorida, tipo uma verde ou vermelha, ainda que em tons mais fechados. Se não permitir, marinho e grafite são ótimas opções por serem neutras escuras, mas sem ficar sisudas como o preto normalmente ficaria.”

Peça coringa quando o assunto é look para o trabalho, um blazer bem escolhido dá um ar elegante até para a calça jeans. Se você simpatiza com essa peça, é possível investir nos clássicos, aqueles com tecidos mais chiques, em cortes mais retos, e nos mais modernos, feitos com tecidos menos formais e coloridos. Luciana sugere ter no guarda-roupa pelo menos duas peças em cores diferentes, como um branco e um preto. Se você passou ou está passando por uma transição de carreira e não sabe o que fazer com peças mais formais que você não tem necessidade de usar, como o blazer, a dica da Érica é adaptar: “O blazer é uma das peças mais fáceis de se adaptar. Se as peças com as quais você pensar forem informais demais, um truque de styling, como dobrar as mangas, pode ajudar”, conta em seu blog.

Para quem curte jeans, a dica da personal stylist Luciana Alves para o dia a dia ou para as sextas-feiras casuais são as calças no modelo flare, de preferência básicas e escuras. O jeans escuro, sem lavagem e com um bom caimento são menos informais e bem mais fáceis de combinar com outras peças. Quem precisa fugir da informalidade, a sugestão da Érica são aqueles com acabamento de alfaiataria no cós e nos bolsos.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA