Esqueça a movimentação intensa de Lisboa e de outras capitais europeias. Viajar para o Alentejo é como voltar ao passado e se deparar com uma Europa rural, calma e aconchegante. É nessa região, à margem Sul do rio Tejo – que corre vindo da Espanha até Lisboa, – e se estende até ao extremo sul do país onde faz fronteira com o Algarve – que se esconde um Portugal profundo, onde o tempo segue seu próprio ritmo. Trata-se de uma zona agrícola portuguesa, que soma a boa comida e os excelentes vinhos a uma atmosfera de paz e tranquilidade, onde se vive a tradição aliada à modernidade.

Apesar de ocupar mais de um terço do território do país, o Alentejo concentra apenas um décimo de sua população. Dá para entender porque o silêncio, um luxo nas grandes cidades, é tão marcante por lá. Alia-se a isso os cerca de 22 mil hectares de vinhedos e uma média de 300 dias de sol por ano, e pronto: nasce o destino ideal para quem quer fugir do burburinho durante as férias.

É também no Alentejo que se produz quase metade do vinho certificado de Portugal, o que faz com que muitos classifiquem a região como uma “nova Toscana” – em uma versão bem mais acessível que a original italiana. A classificação se justifica pelo clima marcado por verões quentes com noites frias e o solo, formado por cal, argila, areia e magnésio. Essas condições proporcionam a produção de uvas especiais, que dão o sabor, a maciez e a cor viva que distinguem os vinhos alentejanos. Merecem destaque as castas tradicionais portuguesas Trincadeira e Aragonez.

Engana-se quem pensa que é preciso ser um especialista em vinhos para desvendar os segredos do Alentejo. A região, que desde 2014 já recebeu cerca de sete prêmios avaliando-a como a melhor no mundo para o enoturismo, incluindo de jornais como o New York Times e o USA Today, abre as portas para todos os tipos de turistas. Do simples apreciador ao verdadeiro connoisseur, há opções de passeios completos, que funcionam como visitas guiadas em um museu. De carro, a pé ou bicicleta, é possível conhecer as vinícolas e o processo de fabricação da bebida desde a origem. Assim como a língua, os sabores também nos aproximam de nossos ancestrais portugueses. Cheia de personalidade, a comida do Alentejo é substanciosa, casando perfeitamente com os encorpados vinhos da região.

Herdades

Para quem busca viver a experiência na terrinha de forma completa, a melhor opção é se hospedar e provar os sabores das herdades, nome dado às grandes áreas rurais, como quintas e fazendas, a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), organismo que controla a qualidade e protege os vinhos da região, apresenta a rota dos Vinhos do Alentejo com algumas opções de enoturismo, gastronomia, lazer e entrenimento.

Cada propriedade pode contar com vinhas, nas quais estão as parreiras e também as oliveiras; vinícolas, onde são produzidos os vinhos; e ainda podem ter hotéis, restaurantes, spas e áreas dedicadas apenas à degustação e visitas guiadas.

No Alentejo são cinco herdades com hospedagem (Casa de Santa Vitória, Malhadinha Nova, Sobroso, Monte do Vau, São Lourenço do Barrocal e Grous) e quatro com restaurante (Servas, Ribafreixo Wines, Quinta do Quetzal e Esporão). Veja abaixo mais informações de cada uma delas:
Herdade da Malhadinha Nova

Localizada a 1 km da Auto-Estrada IP2, a Malhadinha Nova oferece um verdadeiro descanso cinco estrelas com piscina panorâmica, spa, banheira de hidromassagem e banho turco. Tudo isso em um ambiente totalmente rural. Exclusivo, o hotel possui apenas 10 quartos.

Os hóspedes podem desfrutar dos tradicionais pratos da região, como bacalhau com azeite orgânico, lombinho de porco preto e galinha do campo. As refeições são servidas no belo restaurante do hotel, com vista para o campo, ou ao ar livre, junto às videiras. O bar serve vinho de produção própria.

Entre as opções de programas, além da degustação e visita à adega, estão passeios a cavalo, canoagem e de balão.

Saiba mais: www.malhadinhanova.pt/pt
Herdade do Sobroso

Localizada no município da Vidigueira, a 9 km do lago do Alqueva, a propriedade, que tem 1600 hectares, produz o próprio vinho, tinto em sua maioria. Entre as vinhas dominantes estão Aragonez, Alicante Bouschet, Cabernet Sauvignon, Syrah, Alfrocheiro e Trincadeira. Já os vinhos brancos provêm essencialmente das castas Antão Vaz, Arinto e Perrum. São oferecidas diferentes modalidades de visitas guiadas e degustações e também cursos de iniciação.

A herdade oferece aos hóspedes passeios pelas redondezas da propriedade, para que conheçam as paisagens do Alentejo. É possível ainda conhecer a região livremente, de bicicleta, ou fazer um passeio de balão sobre o lago do Alqueva.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA