Segundo a ABIC (Associação Brasileira de Indústria de Café), pelo menos 79% dos brasileiros consomem café. Além disso, em 2018, o aumento do consumo foi de 4,8%.

Para conhecer um pouco mais sobre o que estão bebendo, os brasileiros procuram entender algumas partes do processo de produção como por exemplo, o cultivo, a torrefação, os métodos de preparo e é claro, a degustação! Keito Sato, barista do Santo Grão, dá dicas de como se tornar um degustador de cafés. Confira:

1 – Experimente

Prove todos os tipos, espécies e métodos de preparo dos cafés. Perceba onde “pega” na sua língua e se pega, defina se você acha a experiência prazerosa. Na língua podemos notar a presença de acidez, doçura e corpo da bebida.

2 – Compare

Para os leigos, a dica é estabelecer comparações entre os cafés. Identificar características, personalidades e texturas diferentes expande o repertório e proporciona conhecimento.

3 – Sinta

Diversos fatores compõe um café como textura, corpo, aroma e cor. Use os sentidos para identificar essas características. Por exemplo, um bom café não pode ter gosto de terra, ou lembrar pano molhado. Essas características significam que tem algo de errado no meio do processo. Cafés de qualidade são perfumados, às vezes trazem características até indescritíveis.

4 – Pesquise

Seja curioso e sempre anote suas observações. Procure profissionais nos estabelecimentos e aproveite para perguntar o que tem dúvida e qual processo de preparação passou o café que está bebendo.

5 – Coloque a mão na massa

Um expert no assunto prepara seu próprio café e observa a diferença nos métodos. Keito também aconselha a compra de um moinho caseiro para analisar a diferença entre os pós.

6 – Confira

Segundo Keiko, a data de fabricação de um café é muito importante, então fique ligado! Através dela, evitamos beber cafés com características perdidas (oxidadas). Além disso, compre em pequenas quantidades e armazene na embalagem de origem, bem selada ou vedada para não perder a identidade.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA